Dicas importantes para alimentação do idoso

Nem sempre alimentar o idoso de forma correta é tarefa fácil. Horários regulares, ambiente tranquilo, especialmente muita calma e paciência da parte do cuidador, são fatores imprescindíveis para que a alimentação seja bem aceita pelo paciente

  • O paciente deve estar sentado confortavelmente para receber a alimentação. Jamais ofereça água ou alimentos quando ele estiver deitado;
  • O paciente que ainda conserva a independência para alimentar-se sozinho deve continuar a receber estímulos para fazê-lo, não importando o tempo que levem, você pode diminuir a sujeira durante a alimentação forrando o chão com plástico ou jornal e utilizando bicos adaptadores para copos, talheres adaptados e outros acessórios;
  • Deve-se procurar oferecer ao idoso os alimentos de sua preferência e incentivá-lo a comer no caso de inapetência e se necessárioacrescentar em suas refeições: mingaus de aveia, de farinha láctea, de maisena ,vitaminas com sustagem e cereais integrais;
  • É importante que a refeição seja de fácil digestão
  • Apresente aspectos agradáveis:cor, sabor, aroma, textura ou seja, que se apresente agradável a todos os órgãos dos sentidos:bonita ,aromática, gostosa para estimular as sensações que com o avanço da idade podem diminuir levando à redução do apetite e do prazer de comer, que possua poder de saciedade (auxilia nesse aspecto o consumo de alimentos ricos em fibras e alimentar-se calmamente)
  • Procure evitar a monotonia , variando freqüentemente os temperos e o modo de preparo dos alimentos
  • Use à vontade temperos naturais (alho, cebola, ervas como salsa, manjericão, coentro, alecrim,orégano, etc.
  • No caso de a função mastigatória estar íntegra, não há razão para modificações de consistência e utilização de sopas ou purês. Para que os alimentos sejam melhor aproveitados, precisam ser bem mastigados. No caso da ausência parcial ou total dos dentes e uso de prótese, não deixar de comer carnes, legumes, verduras e frutas. As carnes podem ser picadas, desfiadas, moídas ou batidas no liquidificador. Os legumes e as verduras cruas podem ser picados ou ralados. As frutas mais “duras” podem ser cortadas em pedaços pequenos, amassadas, raspadas ou batidas no liquidificador
  • Caso haja dificuldade para engolir, procurar oferecer alimentos cozidos e com molho Para manter um bom hábito intestinal deve-se consumir grande quantidade de líquidos e de alimentos ricos em fibras: frutas, sempre que possível cruas e com casca, hortaliças, de preferência cruas , leguminosas secas, cereais integrais, deve-se tomar de 6 a 8 copos de água de líquidos (água, chá, leite ou suco de frutas, de preferência no intervalo das refeições)
  • É importante evitar o uso de laxantes;
  • Recomenda-se o consumo de carnes e leguminosas secas. No caso das leguminosas, o ferro é melhor absorvido na presença de alimentos ricos em vitamina C, como laranja, limão, caju, goiaba, abacaxi e outros na sua forma natural ou em sucos. Essa conduta pode prevenir o aparecimento de anemia, problema tão freqüente em idosos, devido à diminuição da produção de glóbulos vermelhos, que pode ser agravada por uma alimentação deficiente em alimentos ricos em ferro
  • É fundamental ingerir diariamente alimentos que contenham cálcio e vitamina D, sendo que esta última também pode ser produzida pela pele com a exposição diária ao sol. Com estas práticas, pode-se prevenir o aparecimento da osteoporose que é uma doença comum em idosos, especialmente em mulheres, devido à mudança hormonal provocada pela menopausa
  • Utilizar açúcar, doces, gorduras, alimentos gordurosos em pequena quantidade para manter o peso adequado. Isto é importante na prevenção de doenças (obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares) e também para prevenir complicações destas, quando já existentes
  • Deve-se evitar o consumo exagerado de sal (cloreto de sódio). Com o avanço da idade, o organismo pode apresentar dificuldade na utilização de água e eletrólitos (sódio e potássio). Em virtude deste fato, pode haver aumento da pressão arterial e retenção de líquido (inchaço)
  • É importante que se dê preferência à utilização de óleos vegetais (óleo de soja, de milho, de arroz, de canola, azeite de oliva, girassol e outros), no preparo e cozimento de alimentos, sempre em pequena quantidade. Desta maneira pode-se prevenir a aterosclerose, doença que é cada vez mais comum na população adulta e idosa e está relacionada com o aumento do consumo de alimentos ricos em colesterol e gordura saturada. Devemos procurar evitar ou diminuir alimentos ricos em gorduras saturadas e em colesterol: gorduras animais (das carnes gordas, do leite integral, dos queijos gordos, manteiga, banha, toucinho, bacon, creme de leite, preparações à base de ovos, embutidos), gordura hidrogenada, óleo de dendê, óleo superaquecido, reutilizado muitas vezes (principalmente para frituras), pães recheados com cremes, com cobertura de chocolate ou com coco e biscoitos amanteigados. Deve-se consumir no máximo 3 ovos/semana;
  • Sempre que possível, procure substituir frituras por preparações cozidas;
  • No preparo de carnes, retire toda a gordura visível, assim como a pele das aves e dos peixes;
  • Recomenda-se a compra de alimentos da época, que têm melhor qualidade nutricional e um custo menor
  • Observar atentamente a data de validade dos produtos adquiridos;
  • Caso o idoso apresente obstipação intestinal evitar oferecer banana prata, caju, goiaba, maçã, cenoura, chá preto/mate e limão. Deve-se procurar oferecer uma vitamina laxativa composta por: 150ml de suco de laranja, 1 ameixa seca, 1 pedaço de mamão, 1 colher de sopa de creme de leite, 1 colher de sopa de farelo de aveia (açúcar ou mel a gosto);
  • Caso o idoso apresente flatulência (gases) devem ser evitados : agrião, couve, repolho, brócolos, pepino, grão de feijão, couve-flor, cebola e alho, principalmente crus, pimentão, nabo, rabanete, bebidas gasosas, doces concentrados, queijos amarelos, etc
  • Você está aqui: Página Principal

    Fale Conosco